sábado, 12 de janeiro de 2019

Melhores tratamentos para queda de cabelo

Tratamentos aprovados para queda de cabelo


Finasterida


A Finasterida é uma medicação de via oral, originalmente usada para tratar o câncer de próstata. Na época, os médicos perceberam que pacientes que trataram a hiperplasia de próstata com Finasterida 5 mg apresentaram retardo da calvície e aumento do volume capilar. Posteriormente, chegou-se à conclusão que 1 mg do remédio era suficiente para combater a calvície, porém, poderia gerar alguns efeitos colaterais.

Minoxidil


O tratamento tópico da calvície é feito com minoxidil, que possui  estudos que comprovam sua eficácia.

Fique ligado: descubra os efeitos colaterais do minoxidil.

Tratamentos não aprovados


Existem terapias que, embora praticadas no Brasil, não são aprovadas pelo FDA (Food and Drug Administration), situado nos Estados Unidos. Isso se deve ao fato desses tratamentos não conseguirem reproduzir resultados científicos substanciais, o que não significa que eles não sejam benéficos para tratar a calvície.

Pode-se realizar tratamento, por exemplo, com shampoo específico, e obter boa resposta, contudo, isso não significa que o produto terá o mesmo efeito para a maioria da população, e para que ele seja aprovado, precisa provar que é satisfatório para um elevado número de pessoas, sendo estatisticamente significativo.

Tratamento da calvície feminina


Para tratar a calvície feminina, normalmente utiliza-se medicamentos equivalentes à Finasterida, que agem como  moderadores do hormônio masculino no organismo. Ocasionalmente, junto ao afinamento do cabelo, mulheres podem apresentar acne, irregularidade menstrual, e ovários policísticos, dentre outras complicações.

Implante capilar


Diferença entre as técnicas antigas e as atuais


Alguns pacientes receiam que o implante capilar promova resultados artificiais. De fato, antigamente a técnica proporcionava um aspecto próximo ao do cabelo de uma boneca, isso porque eram introduzidas vários fios por vez, ou seja, transplantavam-se tufos de cabelo. Atualmente  as unidades foliculares são enxertadas individualmente. Logo, os resultados são extremamente naturais, chegando ao ponto da realização do procedimento ser imperceptível.

Radioterapia e quimioterapia


Quem faz radioterapia ou quimioterapia perde muitos cabelos, que demoram a retornar (ou no pior dos casos, não nascem novamente). O médico determina a técnica de transplante capilar que será aplicada e o total de sessões. Além disso, é preciso analisar se o indivíduo tem tendência a ser calvo.
A incidência de câncer é maior entre mulheres, que geralmente não apresentam calvície. Entretanto, cada caso deve ser avaliado individualmente.


0 comentários:

Enviar um comentário